Intestino, nosso “Segundo Cérebro”

Hoje gostaria de compartilhar com vocês uma revisão minha do livro “Um convite à Saúde” que tem como autor o Dr. Filippo Pedrinola, que é Médico Endocrinologista, formado pela USP.

Ele trabalha há mais de dez anos com foco na qualidade de vida, promoção da saúde e bem estar.

Não faz muito tempo que se descobriu que a produção da serotonina, que é o neurotransmissor responsável pelo bem estar, não é apenas produzida na glândula pineal como imaginávamos, mas que grande parte é produzida no intestino também.

Por isso a saúde do intestino vem sendo abordada tão frequentemente. O órgão tem neurônios que reagem independentes do sistema nervoso central e que respondem ao corpo de acordo com o estímulo que recebem.

intestino-nosso-segundo-cerebro

Cuidar da flora intestinal é primordial quando pensamos em melhora da saúde

Consumir muitas fibras e ingerir bastante água ao longo do dia são medidas essenciais para estimular o trabalho intestinal.

Devemos lembrar que mais de 400 tipos de bactérias habitam o intestino, tanto as boas como as más e por isso é tão importante cultivar bons hábitos alimentares, pois alimentos ricos em fibras e nutrientes ajudam o sistema imunológico a controlar a flora intestinal.

Já ouviram falar de Probióticos e Prebióticos alguma vez?

Segue uma breve explicação do livro:

Probióticos são as bactérias do bem, representadas principalmente como bifidobacterium e lactobacillus facilmente encontrada em iogurtes e leites fermentados ou até mesmo em cápsulas e pós.

Elas fabricam vitaminas do complexo B, ajudam na absorção de cálcio e ferro, fortalecem o sistema imunológico, controlam o colesterol e reduzem o risco de câncer. Bastante indicada para intolerantes à lactose, pois elas aumentam a enzima que digere o açúcar do leite.

Prebióticos agem feito fibras, embora não sejam fibras de fato. Podemos encontrá-los na cebola, alho, tomate, aveia, trigo e no mel. Elas ajudam as bactérias do bem a se multiplicarem colaborando para funcionamento do intestino e ajudando para que apenas as substâncias saudáveis ultrapassem a parede do intestino.

Muitas vezes acreditamos comer as melhores opções, mas se por um descuido nossa flora intestinal não estiver saudável, existem chances de todo nosso empenho não ser completamente reconhecido pelo nosso corpo.

Vale muito a pena conversar com seu médico sobre alimentos e suplementos como glutamina, licopeno, óleo de alho que podem ser efetivos no dia a dia para auxiliar a manter a saúde intestinal.

Até semana que vem!
Beijos,

Wellness Coach Liv Gitahy
Referência: Um convite à Saúde, Dr Filippo Pedrinola, Editora Abril, 2011.

Deixe seu comentário