CAFEÍNA EM ESPORTES DE ENDURANCE

A cafeína é uma das substâncias com efeito ergogênico que mais vem sendo estudada. Seus efeitos como estimulante no processo da lipólise (quebra de gordura no tecido adiposo) já são bem elucidados, e como estimulante do sistema nervoso central é largamente utilizada.

Vamos entender como a cafeína pode melhorar a performance em atletas que competem em exercícios de longa duração.

Principalmente como ergogênico a cafeína exerce efeito positivo na capacidade de exercício (prolongar a duração para o qual o exercício de uma dada intensidade pode ser mantida) sobre uma variada gama de protocolos, incluindo exercícios submáximos (<90min), sustentado de alta intensidade de trabalho (10 a 60min) e de curta duração com intensidade mais alta (1 a 5min).

A maioria dos estudos coloca as alterações no sistema nervoso central como fator importante para explicar a melhora da performance em atletas de endurance que suplementam cafeína. Isso porque ela muda a percepção de esforço ou fadiga, prolongando o exercício por mais tempo e mantendo a intensidade.

Quanto às dosagens, usualmente a cafeína é suplementada em dose única uma hora antes do exercício, muitas vezes em dosagens altas como 6mg/kg de peso. Porém alguns trabalhos mostram que os mesmos efeitos ergogênicos podem ser obtidos em dosagens menores (1 a 3mg/kg de peso ou 70 a 200mg de cafeína).

Portanto, concluímos que a cafeína por mudanças na percepção de esforço ou fadiga é capaz de melhorar a performance em atletas de endurance, e ainda melhorar a composição corporal e a geração de energia por prolongar o estimulo a lipólise.

BLOG-CTA

Deixe seu comentário